Todas as pessoas experimentam um determinado grau de ansiedade. Isto não é necessariamente negativo na verdade, a ansiedade desempenha a importante função de proteger o organismo contra o perigo. Quando é percebida uma ameaça, são os diferentes componentes da resposta de ansiedade (aumento do ritmo cardíaco, respiratório e tensão muscular, um estado de alerta) que permitem que o indivíduo seja avisado e esteja preparado para a ação (um ataque, fuga ou congela). Por exemplo, ao atravessar a rua se um carro vem em alta velocidade, é a resposta de ANSIEDADE FUNCIONAL que permite fugir para a calçada e não ser atropelado.

A ANSIEDADE DISFUNCIONAL acontece quando experimentamos níveis de ansiedade desproporcionais face às ameaças reais, ou seja, quando sentimos muita ansiedade durante muito tempo.

Nestes casos, em vez de preparar o indivíduo para a ação, passa a prejudicar essa mesma ação. Torna-se então importante conseguir reduzir essa ansiedade.

Como? Dos vários procedimentos possíveis, dois se destacam pela sua simplicidade e eficácia: A RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA E O RELAXAMENTO MUSCULAR. Estes procedimentos e sua combinação potencializa a obtenção do estado de relaxamento permitindo descer o nível de ansiedade.